O que Aprendi Aos Meus 40 Anos

Posted by Adriana Almeida Marcadores:

Que amor não se implora, não se pede não se espera...
Amor se vive ou não.
Que ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.
Que animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para
mostrar ao homem o que é fidelidade.
Que crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.
Que as pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.
Que perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Que água é um santo remédio.
Que chorar serve para  não explodirmos.
Que ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.
Que não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
Que a criatividade caminha junto com a falta de grana.
Que ser autêntica é a melhor e única forma de agradar.
Que amigos de verdade nunca te abandonam.
Que o carinho é a melhor arma contra o ódio.
Que as diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Que há poesia é uma criação divina.
E que Deus é o maior poeta de todos os tempos.
Que a música é a sobremesa da vida.
Que acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
Que tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças a cerca de suas ações.
Que obrigada, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves que
abrem portas para uma vida melhor
Que o amor... Ah, o amor...
O amor quebra barreiras, une facções,
destrói preconceitos,
cura doenças...
Que não há vida decente sem amor!
Que é certo, quem ama, é muito amado.
E vive a vida mais alegremente...
Que a dança do amor
a gente dança aos 40anos, como se tivesse 15 anos,
mesmo que as pernas já não sejam as mesmas,
porque esse é o maior milagre que
o amor realiza: ele vive num tempo sem tempo ...
Eu aprendi que a gente pode até
perder os sonhos ao longo dos
caminhos, porque quem disser
que depende dos sonhos para
amar, não conhece a contramão
dessa via: é justamente quem
ama, aquele que se faz sonhador !
Eu aprendi que as agruras da vida
dilaceram, machucam, rasgam o
coração em milhões de pedaços,
mas o amor sempre o refaz e
o apresenta inteiro, pleno e intacto para uma outra vez ...
Eu aprendi que há velhos aos 16 anos
e jovens aos 90 anos, porque a vida é
apenas uma passagem, e o amor
não depende de nada e de ninguém:
ele é o alimento primordial,
é a reverência da alma por tudo
quanto existe e quanto a inspire !
Eu acredito e sinto que o amor é
o anestésico, a superação e
a sabedoria vencendo a solidão.
É ... eu acredito que o amor é isso.
E mesmo que o resto do mundo diga
que eu não estou certa, ainda assim,
isso não precisa significar que eu esteja errada ...
Para mim, o amor entre duas pessoas
é uma conspiração do invisível.
Sim, eu realmente acredito que o amor não tem idade,
que as ilusões são estrelas para as noites sem lua
e a juventude é o quanto de vida cabe dentro de cada um.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário, mas jamais perdendo o respeito pelo próximo.
Adriana Almeida
Autora Blog